Mapa cria grupo que terá de propor aumento de recursos para o Funcafé

26/06/2017 16:50:43


O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) anunciou em junho a criação de um Grupo de Trabalho que terá de promover, em até 90 dias, o aumento dos recursos do Funcafé (Fundo de Defesa da Economia Cafeeira) e a renovação do parque cafeeiro do Brasil, inclusive com uma linha de financiamento específica.

Para este ano, o Funcafé dispõe de R$ 4,9 bilhões destinados a financiar projetos que envolvam custeio, estocagem, aquisição de café, capital de giro para o segmento de café solúvel, torrefação, cooperativas de produção e recuperação de plantios danificados. O valor, e as taxas de juros para cada modalidade, foram divulgados no início de junho no Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018.
 
Na safra passada, os produtores de café tomaram empréstimos do Funcafé de R$ 3,7 bilhões, volume correspondente a 90% do total destinado.

O Grupo de Trabalho terá a participação de representantes do setor privado que já compõem o CDPC (Conselho Deliberativo da Política do Café), que por sua vez é formado por executivos do Cecafé (Conselho de Exportadores de Café do Brasil), CNC (Conselho Nacional do Café), CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Abic (Associação Brasileira da Indústria de Café), Abics (Associação Brasileira de Café Solúvel), além de técnicos dos ministérios da Agricultura, Fazenda, Indústria e Comércio, Planejamento e Relações Exteriores.

A safra 2017 de café, de acordo com o levantamento mais recente divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), deve resultar em 45,6 milhões de sacas beneficiadas, volume colhido em 1,8 milhão de hectares em produção. A área cafeeira do país também inclui 342 mil hectares de cafezais em formação.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!