Algodão: Brasil deve superar recorde de produção em 2019

Em cenário desafiador, investimentos em tecnologia devem permitir aumento de 19% em relação à safra anterior. País pode se tornar 2º maior exportador mundial

21/11/2018 11:53:20

Atualizado:

21/11/2018 12:02:11

A produção brasileira de algodão deve chegar a 2,5 milhões de toneladas no ciclo 2018/2019, um crescimento de aproximadamente 19%. Na safra 2017/2018, o país atingiu o recorde atual de 2,1 milhões de toneladas de pluma. A área plantada com a commodity deverá ser 22% maior no período, saindo dos atuais 1,18 milhão de hectares para 1,44 milhão de hectares. 

As informações são da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com base em dados consolidados pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e Derivados, em reunião na sede do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Se as previsões forem confirmadas, o país terá dobrado a produção de pluma somente ao longo das últimas três safras. As exportações em torno de 1,2 milhão de toneladas também tornam o Brasil, neste cenário, o segundo maior exportador mundial, atrás dos EUA. 

Aumento nos dez estados produtores

Todos os dez estados produtores do país vão plantar mais algodão este ano. Em Mato Grosso, a área deve chegar a um milhão de hectares, um crescimento de 18%. Na Bahia, a expectativa é de que sejam cultivados 325 mil hectares, 23% a mais que na safra anterior. A área de lavouras de algodão em Goiás é estimada em 41,6 mil hectares, 27% maior. A expansão geral nas plantações é explicada pelos preços atrativos da pluma no momento da decisão de plantio.

O aumento da área plantada na cotonicultura tem a ver com o avanço do algodão sobre outras culturas, como a soja e o milho, de acordo com o presidente da Câmara Setorial do Algodão, e também da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Arlindo de Azevedo Moura. “É uma decisão diretamente ligada a questões de mercado. O incremento de produção segue na mesma esteira, mas é intensificado pelas altas produtividades alcançadas nas lavouras do Brasil, que resultam dos investimentos em tecnologias adequadas e no manejo correto", diz.

Proteção para garantir resultados

O agricultor que busca a máxima produtividade no cultivo do algodão deve ficar atento ao ataque de pragas que podem comprometer o desenvolvimento da cultura e o resultado final na colheita. As lagartas Spodoptera frugiperda e Helicoverpa armigera, que têm causado prejuízos nas últimas safras, são algumas delas. 

O bicudo-do-algodoeiro também é uma praga conhecida do cotonicultor. Ele causa sérios danos, principalmente quando não é controlado desde o início.  "As lagartas estão presentes durante todo ciclo da cultura, entretanto causam os maiores danos a partir dos 50 DAE (Dias Após Emergência). É quando já temos estruturas reprodutivas na planta. Já os bicudos, costumam aparecer quando temos a formação dos botões florais", explica o gerente de algodão da Syngenta, Wagner Janjacomo. 

Investir no tratamento de sementes é uma opção que integra o manejo consciente. Assim, as plantas do algodoeiro ficam mais protegidas, do ataque do bicudo, da Helicoverpa armigera e de outras lagartas, além das doenças do solo e pulgões. Sem o monitoramento e com a identificação de pragas durante o cultivo, a solução é fazer as intervenções com aplicações de produtos de alta eficiência.

Para a proteção das sementes, a Syngenta possui em seu portfólio o Fortenza Duo e o Fortenza Elite. Eles possuem ativos para o controle de lagartas e sugadores e também uma associação de fungicidas que permite proteção inicial para doenças de solo e, no caso do Fortenza Elite, ainda trazem o controle dos principais nematoides.

Para o controle do bicudo a Syngenta oferece as soluções: Polytrin, Engeo Pleno S, com tecnologia atualizada, e Actara. Outra grande preocupação está com as doenças, principalmente a ramulária. O Programa Cotton Solution (para ramulária e outras doenças) oferece um manejo químico de alta eficiência e competitividade econômica. Utilizando um chassi de aplicações muito potente, com as tecnologias Priori Top, Mertin e Score. 

Investimentos na lavoura

O boletim "Observatório Agrícola - Acompanhamento da Safra Brasileira - Grãos - Segundo levantamento - Novembro 2018", realizado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), reforça a expectativa otimista em relação à produção de algodão: “O bom desempenho das cotações da pluma tanto no mercado interno quanto no externo estimulou os produtores nacionais a investirem fortemente na lavoura, sendo esperados incrementos recordes na área plantada. Fatores como taxa de câmbio e a evolução dos preços nas principais praças produtoras e o bom ritmo das exportações deverão, a depender das condições climáticas nessa temporada, contribuir para a consolidação desse quadro.”

Para tornar essa expectativa positiva em realidade, o agricultor pode contar com o apoio do eficiente portfólio Syngenta. Clique aqui e conheça as opções disponíveis de tratamento de sementes, herbicida, inseticida, fungicida, nematicida e acaricida para uso em lavouras de algodão.




 

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!