Clima: o que o produtor deve esperar de abril a junho

Outono deve ser mais frio do que inverno e chuvas continuam até maio, diz agrometeorologista

11/04/2018 15:58:59

 

Até o final de março, o Brasil esteve sob a influência do fenômeno La Niña que, mesmo de fraca intensidade, provocou seca no extremo sul do país e boa quantidade de chuvas no nordeste. A partir de agora, começa uma fase de neutralidade climática, segundo os mapas meteorológicos. "Há previsões de chuva em todo o país até o dia 20 de abril. A partir daí, vão diminuir de frequência e intensidade em toda região Centro-norte e ficarão mais concentradas na Centro-sul", diz Marco Antônio dos Santos, da Rural Clima. De acordo com o agrometeorologista, o outono deve ser mais frio do que o inverno, muito semelhante ao mesmo período do ano passado, pois as condições climáticas estão parecidas.


Safrinha no centro-norte

As lavouras de segunda safra que foram plantadas com atraso vão precisar de chuva justamente no período em que as precipitações serão menores no centro-norte do país. "Isso pode reduzir o potencial produtivo das culturas, especialmente o milho safrinha que foi cultivado mais tarde - cerca de 40% das lavouras", afirma Santos. Já as colheitas do café, da cana-de-açúcar e dos cítricos plantados no sudeste, devem ser beneficiadas. "Elas acontecem em abril (cana) e maio (café), períodos de tempo mais seco com eventuais pancadas de chuva".


Frio precoce no centro-sul

Nas áreas que incluem o sul do Mato Grosso do Sul, sul de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, as lavouras instaladas tardiamente tem chance mínima de perdas por seca, pois a previsão é de chuvas em maio. Essa condição também favorece as culturas de inverno, como o trigo. Mas a região Sul não tem só notícias boas. "Em anos de neutralidade climática com viés negativo, a chegada de massa de ar polar é facilitada, o que derruba as temperaturas mais cedo. A chance de ocorrência de geadas é maior", alerta o técnico. Essa geada acontecendo no outono e não no inverno pode trazer alguns prejuízos para o milho safrinha da região. "Como não é possível prever uma geada com mais de uma semana de antecedência, a única opção do agricultor é arriscar", diz.
 

Pragas e doenças

Se as previsões climáticas se confirmarem, o outono será mais frio do que o inverno, repetindo as características climáticas do ano passado. Com isso, o período úmido acaba se estendendo, facilitando o aparecimento de doenças nas lavouras de segunda safra. "A mesma atenção deve ser dada ao trigo, já que o sul terá mais chuvas. Mais umidade significa mais doenças", afirma Santos. Já para culturas como café e cana, a atenção deve ser dada às pragas. "Nas principais regiões produtoras dessas culturas o clima estará mais seco, aumentando a probabilidade da ocorrência de pragas", diz o agrometeorologista.

Leia mais:

+Condições climáticas impõem novo ritmo à safra em todo o país

+Webinar: integra da entrevista sobre clima com Alexandre Nascimento, da Climatempo

+Clima: saiba mais sobre esse fator determinante para o sucesso no campo

VEJA MAIS

VÍDEOS

Há diversos temas essenciais à produtividade agrícola, entre eles o controle de pragas, doenças e daninhas, a eficiência de produtos e o tratamento de sementes industrial. A Syngenta preparou uma série de vídeos sobre variados assuntos e também ouviu pessoas que trabalham no campo e especialistas. Veja ao lado um conjunto desses vídeos. Boa navegação!