Com genética, Brasil aumenta em 35% a produção do feijão

Segundo a Embrapa, crescimento ocorreu mesmo com uma redução de 30% na área plantada nos últimos 40 anos

20/12/2017 11:52:36

Atualizado:

20/12/2017 14:36:50

 

Mesmo com uma redução de 30% na área plantada nos últimos 40 anos, o Brasil aumentou em 35% sua produção de feijão, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), atingindo três milhões de toneladas atuais. O estudo tem base na eficiência de um programa de melhoramento genético da entidade.

O levantamento aponta que em um período de 22 anos, o avanço da produtividade acumula alta de 380 quilos por hectare. Isso equivale a quase um terço da produtividade média nacional – de 1.354 quilos por hectare. O feijão-carioca, que é o mais cultivado e consumido no país, por exemplo, teve aumento de produtividade de 0,72%, o que representa 17 quilos a mais por hectare ao ano.

Além da produtividade, segundo a Embrapa, houve ganho significativo de 2,37% ao ano na qualidade de grãos com o progresso genético para o feijão-carioca. Isso se traduz em menor tempo de cozimento, coloração do caldo, não escurecimento do produto empacotado e rendimento de grãos inteiros no beneficiamento.

A estimativa do progresso genético para a produtividade de grãos na cultura do feijão-carioca no Brasil é inédita. Ela foi feita em uma série de experimentos no campo, em conjunto com instituições parceiras, em quatro regiões produtoras (Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste), abrangendo 20 ambientes diferentes, três épocas de semeadura (água, seca e inverno) e empregando uma base de dados com 22 anos de informações sobre linhagens e variedades.

Leia mais:

+Mapa lança Plano Nacional da Cadeia Produtiva do Feijão

+Mosca-branca no feijão preocupa produtores de soja no MT

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!