Manejo adequado permite controlar daninhas sem intoxicar o canavial

Ao invés de fazer aplicações para controlar as plantas daninhas e indiretamente intoxicar o canavial, agricultor deve usar herbicida altamente seletivo

30/08/2018 16:06:14

Atualizado:

05/09/2018 13:36:15

 

O produtor de cana-de-açúcar tem o desafio de controlar as plantas daninhas sem provocar danos em sua lavoura, já que ela também é uma gramínea. Ao tentar erradicá-las sem o manejo adequado, ele pode comprometer a sua produtividade. Um herbicida que controla as daninhas pode, ao mesmo tempo, comprometer o canavial se alguns cuidados não forem tomados.

De acordo com a Embrapa, as plantas daninhas provocam problemas que chegam a tomar até 30% da produtividade  da cana-de-açúcar. O controle dessas plantas daninhas, quando realizado corretamente, possibilita o desenvolvimento vigoroso da cana, que passa a se desenvolver sem competir com as plantas daninhas. Estudo aponta que as principais espécies que atuam nos canaviais são: corda-de-viola (Ipomoea spp.), capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) e capim-colchão (Digitaria horizontalis).

Manejo adequado

As formas mais importantes de controle das plantas daninhas são: preparo adequado do solo antes do plantio; correta densidade de plantio para o rápido fechamento e sombreamento das entrelinhas e controle químico, com uso de herbicidas que controle as plantas daninhas e não agridam a cana-de-açúcar.

Existe uma solução para controlar as plantas daninhas com o mínimo impacto nas plantas de cana. Ao invés de fazer as aplicações somente nas plantas daninhas, isolando as plantas de cana-de-açúcar (o que é logisticamente complicado) ou usá-lo quando a cana ainda não nasceu (o que limita o efeito residual do produto), o agricultor pode optar por uma tecnologia seletiva.

O produtor deve considerar que os  fluxos de germinação de plantas daninhas variam conforme a época do ano. Nos períodos quentes e chuvosos acontece  o surgimento de gramíneas, já em soqueiras colhidas com palha, normalmente a ocorrência maior são de folhas largas, como as cordas-de-viola. Esse comportamento facilita a escolha do herbicida mais apropriado”, explica Leandro Boncompagni, coordenador de Marketing da Syngenta.

A Syngenta conta em seu portfólio com o Dual Gold, um herbicida graminicida de alta performance, que pode ser aplicado sobre a cana e não faz mal nenhum à planta, sendo totalmente seletivo a essa cultura. “Ele controla somente as gramíneas que competem com a cultura por água e nutrientes e impedem o seu desenvolvimento”, diz Boncompagni, ao ressaltar as vantagens da tecnologia.

Quando realizar o controle

O Dual Gold pode ser usado de outubro a março, em todas as fases da cultura da cana, seja no pré plantio, no pós plantio ou no quebra-lombo, e também nas socarias, com ou sem palhas. O Dual Gold entrega o controle das gramíneas com muita seletividade”, afirma Boncompagni.

A efetividade da solução pode ser testada com o Aplicativo Dual Gold. Basta baixá-lo no celular ou tablet, seguir o passo a passo para instalar uma área demonstrativa com Dual Gold e monitorar a cultura. Inserindo os dados solicitados no próprio aplicativo, você conhecerá de forma simples e rápida os reais benefícios que Dual Gold por proporcionar para seu canavial. Então não esqueça, assim que as chuvas retornarem, Dual Gold é a melhor solução para controle das gramíneas da cana-de-açúcar.

Veja também:

+8 fatores para melhor controle da broca-da-cana

+Maturadores multiplicam lucros da cana nas regiões Norte e Nordeste

+Produtores de cana ganham R$ 25 para cada R$ 1 investido

VEJA MAIS

VÍDEOS

Há diversos temas essenciais à produtividade agrícola, entre eles o controle de pragas, doenças e daninhas, a eficiência de produtos e o tratamento de sementes industrial. A Syngenta preparou uma série de vídeos sobre variados assuntos e também ouviu pessoas que trabalham no campo e especialistas. Veja ao lado um conjunto desses vídeos. Boa navegação!