Manejo preventivo evita perdas causadas pela antracnose e mancha-alvo na soja

Influência do clima e sobras de plantas após o vazio sanitário são fatores que colaboram para o surgimento das doenças

20/06/2018 10:23:29

Além da ferrugem asiática, que pode causar perdas de até 90% na produtividade, o agricultor que cultiva a soja deve ficar atento a duas doenças comuns e que podem causar impacto na lavoura: a antracnose e a mancha-alvo.

A influência do clima, como a umidade e as sobras de plantas após vazio sanitário são fatores que colaboram para que os esporos se espalhem e encontrem hospedeiros para se desenvolverem, segundo a Embrapa.

Ficar atento à época da semeadura, conforme as janelas de plantio, escolher corretamente as cultivares e planejar o programa de fungicidas são algumas das estratégias eficazes para o manejo de resistência.

Características das doenças

A antracnose causa a morte de plântulas, manchas de coloração escura nas folhas, hastes e vagens, queda total das vagens ou deterioração das sementes. As vagens infectadas também ficam retorcidas. Já a mancha-alvo causa lesões que se iniciam por pontuações pardas e evoluem para grandes manchas circulares, de coloração castanho-clara a castanho-escura, atingindo até 2 cm de diâmetro e em alguns casos causa desfolha.

Controle inicial

Fazer a rotação com culturas não hospedeiras e um bom tratamento de sementes, são ações fundamentais para evitar os danos causados por antracnose e a mancha-alvo. Como ambos os patógenos são necrotróficos (sobrevivem em restos culturais), as aplicações de fungicidas ainda no estádio vegetativo da cultura, em torno de 30 dias, são fundamentais para um bom controle. Ambos os fungos causadores dessas doenças podem apresentar longo período de latência e os sintomas serem verificados apenas após o início do florescimento, mesmo quando a infecção ocorre na fase vegetativa.

Para proteger a soja neste estádio inicial da cultura, a Syngenta possui em seu portfólio o Score Flexi, uma mistura de dois triazóis que possuem um amplo espectro de controle de manchas que ocorrem justamente neste início do cultivo.

A segunda aplicação de fungicidas deve ocorrer  até o 45º dia ou até o pré-fechamento da cultura. “Neste caso, é recomendada a aplicação foliar de Elatus combinada com  Cypress e 14 dias depois,  Elatus junto com multissítios, para garantir a proteção efetiva e controle eficiente das principais doenças que ocorrem na soja”, explica Henrique Mourão, gerente de produtos da Syngenta.

Leia também:

+Mato Grosso do Sul tem aumento de 78% em casos de ferrugem asiática

+Ferrugem, mancha-alvo e antracnose: como evitar perdas na produção

+Syngenta participa do Congresso de Soja com novidades digitais e lançamentos

VEJA MAIS

VÍDEOS

Há diversos temas essenciais à produtividade agrícola, entre eles o controle de pragas, doenças e daninhas, a eficiência de produtos e o tratamento de sementes industrial. A Syngenta preparou uma série de vídeos sobre variados assuntos e também ouviu pessoas que trabalham no campo e especialistas. Veja ao lado um conjunto desses vídeos. Boa navegação!