Escolha adequada de sementes de milho é aliada da produtividade

O plantio, momento fundamental de decisão, deve levar em conta a certificação, a origem e os resultados esperados pelo produtor, sempre de olho na proteção da lavoura e na máxima produtividade

26/11/2018 11:59:00

Atualizado:

07/12/2018 11:05:23

O plantio do milho marca um momento de decisão fundamental para o agricultor que busca a máxima produtividade no campo: a escolha da melhor semente. É ela que irá proteger a cultura em sua fase mais crítica do ataque de pragas e doenças que podem comprometer todo o cultivo.

A escolha adequada de sementes pode proporcionar uma série de vantagens ao produtor. Por exemplo, os híbridos superprecoces são adequados para evitar condições climáticas adversas; as cultivares resistentes oferecem ao produtor proteção já na largada; e o uso de híbridos pode garantir a estabilidade de produção. O resultado proporcionado por essas vantagens é o bom nível de produtividade.

A escolha certa de sementes, aliada ao objetivo e expectativa, permite optar por materiais que completem o ciclo de forma mais rápida e ao mesmo tempo mantenham a produtividade adequada. A integração do híbrido superprecoce com materiais de ciclo mais longo colabora para a redução dos riscos com as chuvas.

Observar a janela de plantio, nesse momento, é essencial.  “No caso do milho safrinha, por exemplo, é preciso analisar o potencial produtivo que o produtor busca para fazer a escolha da semente certa e adequá-la à época de semeadura”, diz William Weber, gerente de milho da Syngenta.

O uso de cultivares mais resistentes oferece ao produtor a proteção já na largada, no momento em que a cultura está mais suscetível ao ataque de pragas e doenças, além de oferecer também melhor comodidade, já que a prática reduz aplicações ao longo do cultivo.

O potencial produtivo de um híbrido deve ser um dos primeiros aspectos considerados pelos agricultores na compra de sua semente. Entretanto, a sua estabilidade de produção, que é determinada em função do seu comportamento em cultivos em diferentes locais e anos, também deverá ser considerada.

Uma importante característica a ser observada ao se plantar um híbrido é a densidade de plantio, que, quando inadequada, pode ser razão de insucesso da lavoura. A densidade de plantio ideal é função do híbrido e da disponibilidade hídrica e de nutrientes.

Vários outros fatores devem ser levados em conta na escolha de um híbrido, de forma que ele seja adaptado ao seu sistema de produção e que resulte em melhor custo-benefício.

Deve sempre haver uma adequação entre o potencial genético da semente, as condições edafoclimáticas da região e o manejo e tratos culturais que essa semente receberá. O híbrido escolhido deve ter características que atendam as necessidades do produtor de acordo com a região, como tolerância a doenças, biotecnologia, ciclo e finalidade de uso, por exemplo.

A divisão de Sementes da Syngenta oferece ao mercado híbridos com alto potencial produtivo, qualidade de grãos e sanidade de plantas. 

Outra oferta é o tratamento de sementes industrial. Uma equipe de profissionais altamente especializados desenvolve defensivos para aplicação em sementes. Com a utilização das melhores substâncias químicas e biológicas, é proporcionada proteção às plantas no período mais crítico: o estabelecimento.

O amplo portfolio da Syngenta reúne, ainda, uma série de defensivos adequados para proporcionar ao produtor uma lavoura protegida e, portanto, com alto potencial produtivo.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!