Skip to main content

Lagartas: por que elas são as inimigas da sua produtividade?

Grande preocupação entre os produtores e responsáveis por prejuízos, essas pragas podem ser controladas através de um monitoramento constante e ações efetivas no manejo antirresistência. Confira tudo o que você precisa saber para ter bons resultados.

Publicado 23/10/2020 13:40:48

Atualizado: 23/10/2020 15:18:05

As expectativas para a safra 20/21 da soja continuam boas, principalmente em relação às margens de lucratividade. Análise feita pela Cogo - Inteligência em Agronegócio aponta para um aumento de 13,2% no custo médio de produção na Região Sul e de 8% na região do Cerrado. Em comparação com a receita bruta da safra 19/20, a Região Sul deverá crescer 2,7% e o Cerrado, 6,5%.

Os números de exportação da oleaginosa também se mantêm satisfatórios e dentro da previsão da Conab (Companhia Nacional do Abastecimento). De acordo com o relatório da Conjuntura Semanal, de janeiro a setembro de 2020 as exportações podem somar 79,04 milhões de toneladas e, a três meses do fim do ano, o total deve chegar próximo de 83 milhões de toneladas.

Aproveitando esse bom momento e o início da safra 20/21, os produtores estão em alerta para as pragas que podem acometer a lavoura nos próximos meses, como as lagartas de difícil controle, que geram um grande impacto na produtividade se as ações de manejo não forem colocadas em prática no momento certo.

Lagartas de difícil controle: por que elas merecem a sua atenção?

Dentre as pragas que precisam ser controladas com assertividade na lavoura para evitar queda na qualidade dos grãos e produtividade estão as lagartas de difícil controle. Sua infestação gera muitas preocupações para o produtor, principalmente no início do plantio.

Conhecer suas peculiaridades e saber identificá-las contribui para a tomada de decisão no momento certo. Veja as características das duas lagartas de difícil controle que são uma ameaça para a lavoura:

Lagarta Helicoverpa

Na lavoura de soja, a lagarta helicoverpa (Helicoverpa armigera) traz muitos prejuízos ao sojicultor, pois tem a característica de se locomover muito rapidamente de um lugar a outro, se adapta facilmente em vários tipos de ambientes e possui uma certa resistência aos inseticidas. O ciclo de vida dessa lagarta tem duração entre 30 a 60 dias, mas é na fase de larva que ela gera a maior destruição nas plantas de soja, atacando as vagens, as inflorescências e os frutos na hora de se

alimentar. É considerada uma lagarta de difícil controle, pois em uma mesma lavoura é possível encontrar várias gerações sucessivas da espécie. Estima-se que o prejuízo causado pela helicoverpa pode chegar a 50% se não controlada a tempo.

Lagarta Falsa-Medideira

Outra grande inimiga do produtor nas lavouras de soja é a lagarta falsa-medideira (Chrysodeixis includens), que tem esse nome devido ao movimento que ela faz ao se locomover, que assemelha-se à medição de palmos.

Diferente da helicoverpa, que se alimenta dos nutrientes das folhas, a falsa-medideira vai raspando uma a uma, deixando manchas nas folhas e atingindo até as hastes mais finas, deixando-as quebradiças e causando uma grande desfolha em toda área.

É uma lagarta de difícil controle pois encontrá-la na lavoura tem uma certa dificuldade, já que ela se esconde nas folhas do baixeiro para se alimentar do limbo da planta. Além disso, desenvolve-se rapidamente e sua população pode aumentar em poucos dias porque consome vários tipos de plantas.

Confira, no infográfico abaixo, como é a ação destruidora das lagartas de difícil controle na lavoura:

Seja implacável contra as lagartas

Para os problemas com as lagartas de difícil controle, o sojicultor pode contar com Proclaim, a solução inseticida da Syngenta com rápida ação de choque e residual, sendo uma ferramenta eficaz no manejo antirresistência de pragas na lavoura.

Dentre as vantagens da solução da Syngenta, destacam-se:

  • Rápida ação de choque: a planta fica protegida do ataque das lagartas, que sofrem o bloqueio na sua alimentação, ocasionando um controle eficiente e superior desta praga;
  • Manejo antirresistência: controle das lagartas de diversos tamanhos com a mesma aplicação, inclusive com ação ovi-larvicida, controlando os insetos antes e durante a eclosão dos ovos. A solução conta ainda com o modo de ação conhecido como “ativadores do canal de cloro”, que leva à paralisia flácida da praga, sendo o único inseticida com esse mecanismo de controle;
  • Ação translaminar: o inseticida age em movimento dentro das folhas, protegendo-as da lavagem das chuvas e conferindo assim um bom residual;
  • Seletividade: Proclaim possui pouca disponibilidade para contato, o que faz dele um produto altamente seletivo aos inimigos naturais presentes na lavoura.

Além de todos os benefícios que Proclaim traz em sua formulação, adotar medidas como o monitoramento da lavoura e compreender o desenvolvimento das lagartas são ações importantes para manter o controle dessas pragas e a sanidade da área produtiva.

De acordo a doutora Jurema Rattes, professora universitária e, pesquisadora da Agro Rattes, Proclaim é uma ferramenta muito importante neste cenário contribuindo no manejo de pragas de difícil controle aliado ao monitoramento constante e ao melhor posicionamento nos ínstares ideais para o controle das lagartas.

O engenheiro agrônomo Geraldo Papa, doutor em Entomologia e professor universitário da Unesp Ilha Solteira/SP, também destacou o uso adequado de Proclaim nos campos de soja:

A Syngenta, após muitas pesquisas e estudos, realizou um trabalho intenso sobre o manejo correto e o uso adequado do benzoato de emamectina na lavoura. Após o registro de Proclaim, o inseticida vem contribuindo muito como ferramenta nos programas de manejo das lagartas por ser um controlador desses insetos por excelência, foi um produto muito importante no controle da espécie helicoverpa há alguns anos e se mostra eficiente também contra a lagarta Spodoptera, que apresentou grande incidência nas lavouras de soja nas últimas safras.”

Praga Zero: conhecimento, tecnologia e o fim das ameaças da produtividade

A infestação de pragas na lavoura é um problema sério, que pode causar muita dor de cabeça ao produtor. No caso da soja, o ataque das lagartas chega a níveis bem preocupantes em algumas regiões, podendo levar ao aumento do custo de produção e a impactos econômicos negativos ao final da safra.

Atenta às necessidades do produtor rural e ciente da gravidade dos danos que as pragas podem causar, a Syngenta iniciou a Operação Praga Zero, projeto cujo objetivo é orientar e dar suporte aos agricultores sobre as melhores práticas de manejo contra as pragas de difícil controle.

O Praga Zero é um projeto muito feliz, que dá todo o suporte para o produtor e vai posicionar o inseticida nesse manejo em seu melhor momento, tirando os benefícios do seu controle antes que a lavoura tenha um grande prejuízo”, destacou Jurema Rattes, que teve participação efetiva no projeto desde o início.

O programa reúne agrônomos e agricultores em palestras e visitas organizadas ao campo a fim de mostrar de uma forma didática como a tomada de decisão e o manejo assertivo contribuem com o controle eficiente das pragas.

Com o cenário atual de pandemia, para que os produtores não fiquem sem esse suporte, a iniciativa foi adaptada para o formato online, com divulgação de vídeos, palestras e dúvidas que foram sanadas mesmo a distância. “As orientações sobre a importância do manejo e do monitoramento não pararam. É importante orientar os produtores para que ele pegue a praga no momento em que ela está mais sensível, onde teremos mais sucesso com as ferramentas disponíveis”, resumiu Jurema.

O engenheiro agrônomo Geraldo Papa, também participa da iniciativa da Syngenta. “Tive a oportunidade de participar do programa Operação Praga Zero antes da pandemia na região do Mato Grosso e o objetivo era capacitar, instruir e organizar os agricultores e produtores de cada região sobre a importância do controle e dos problemas do aumento populacional das pragas. As ações foram realizadas in loco e através de palestras presenciais que falavam sobre as perdas de produtividade e o efeito dessas pragas na qualidade dos grãos produzidos na lavoura, trazendo detalhes sobre tecnologias disponíveis e que são fundamentais para o manejo de controle de pragas junto ao monitoramento”, contou.

Dentro da Operação Praga Zero, o uso de Proclaim, solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo no controle das lagartas, especialmente da espécie Spodoptera, que tem se mostrado um grande problema não só nas lavouras de soja como em outras culturas.

Atenta às necessidades do produtor para extrair o máximo em produtividade de uma lavoura saudável, a Syngenta conta com um portfólio completo de produtos que conectam o produtor às tecnologias dentro e fora do campo.

Modelo Tabela

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Table Table

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Teste

Solução desenvolvida pela Syngenta, entra como uma das ferramentas de manejo

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade