Skip to main content

Arroz: como as pragas iniciais afetam a produtividade

A bicheira-da-raiz-do-arroz e a cigarrinha-das-pastagens podem causar grandes prejuízos à produtividade se não forem controladas. Uma das práticas para prevenir os danos é investir em tecnologia de alta performance no tratamento de sementes

Publicado 10-09-2021 17:29:27

Linkedin Whatsapp
Lavoura de arroz

O arroz é um cereal importante para a agricultura e alimenta mais da metade da população mundial, ocupando o terceiro lugar entre as maiores culturas cerealíferas do mundo. No Brasil, ele faz parte das refeições diárias das famílias, e as condições climáticas favoráveis ao plantio, com temperaturas entre 24°C e 30°C e irradiação elevada, fazem do país o maior produtor e consumidor da gramínea fora da Ásia.

Diversos fatores favorecem a agricultura brasileira e permitem que o potencial produtivo da cultura do arroz seja desenvolvido tanto no solo inundado como em solo seco.

A duração do ciclo varia de 100 a 140 dias, dependendo da cultivar aplicada, e o desenvolvimento da lavoura de arroz é dividido em três fases:

  • Fase vegetativa: período entre a germinação e o primórdio da panícula;

  • Fase reprodutiva: período entre a iniciação do primórdio da panícula e o florescimento;

  • Fase de maturação: período entre a fertilização do óvulo e o ponto de maturidade fisiológica.

A fase inicial da cultura é uma das mais preocupantes aos produtores pois, no intervalo que vai da emergência até o início do perfilhamento, a cultura é sensível ao ataque de pragas como a bicheira-da-raiz-do-arroz (Oryzophagus oryzae) e a cigarrinha-das-pastagens (Deois flavopicta), que causam grandes prejuízos à produtividade se não forem controladas de forma rápida e eficaz.

Pragas iniciais: quais os danos à lavoura?

O controle de pragas é um fator importante para a produtividade, por isso, conhecer as características de cada espécie que ataca o campo é essencial na hora de escolher as ferramentas mais adequadas para as ações de manejo.

A bicheira-da-raiz-do-arroz (Oryzophagus oryzae) é uma praga comum em arroz irrigado. O adulto, também chamado de gorgulho-aquático, provoca danos significativos ao se alimentar da radícula e do coleóptilo, ocasionando a morte da planta logo após a germinação.

Porém, é na fase de larvas que os prejuízos são mais significativos, pois consomem as raízes mais novas das plantas, causando-lhes ruptura, o que impede a completa absorção de nutrientes. Com isso, as plantas ficam com tamanho reduzido, e as folhas adquirem coloração verde-clara ou amarelada. Confira os principais impactos causados por esse inseto:

Bicheira-da-raiz-do-arroz

Já a cigarrinha-das-pastagens (Deois flavopicta) é um inseto que apresenta coloração preta com duas faixas transversais amarelas nas asas. O abdômen e as pernas são vermelhos. A praga causa danos à cultura no momento da alimentação e se reproduz rapidamente, dificultando o controle na lavoura. Veja a seguir os principais impactos que essa praga causa:

Cigarrinha-das-pastagens

A melhor forma de prevenir o ataque dessas duas espécies e de outras pragas na lavoura de arroz é o investimento no tratamento de sementes, uma ação eficaz que proporciona um estande protegido e vigoroso.

Tratamento de sementes no controle de pragas iniciais

Atenta aos prejuízos que a bicheira-da-raiz-do-arroz e a cigarrinha-das-pastagens provocam à lavoura, a Syngenta desenvolveu Cruiser Opti, inseticida sistêmico e de contato que proporciona aumento da produtividade e vigor para a cultura.

O uso de sementes tratadas com Cruiser Opti deve ser realizado, principalmente, em áreas com histórico de ataque das pragas nos plantios anteriores ou onde a cultura anterior foi pastagem.

Entre os benefícios de Cruiser Opti, destacam-se:

  • Manutenção do estande, que proporciona um melhor enraizamento da cultura e um maior número de panículas por metro quadrado;

  • Controle das principais pragas por conta do seu amplo espectro;

  • Ação residual prolongada, conferindo mais proteção para a lavoura em várias fases do ciclo, proporcionando vigor de estande e maior produtividade.

A boa performance da solução se deve à combinação de duas moléculas (Lambda-cialotrina e Tiametoxam) que proporcionam a proteção completa da semente, impedindo que as pragas causem danos à lavoura e contribuindo para a máxima produtividade.

O que era bom, ficou Opti. A proteção de cultivos começa pelo tratamento de sementes – mas, para que a lavoura tenha um desenvolvimento saudável durante todo o ciclo, é necessário um manejo adequado com o uso das melhores soluções, extraindo o máximo em produtividade.

Conte com o portfólio completo de produtos da Syngenta para superar os desafios diários do campo.

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta