Skip to main content

Bicho-mineiro e pragas do café: como ser preciso no controle

Mantenha as ameaças da produtividade longe do cafezal com o uso de um inseticida que oferece amplo espectro e residual prolongado

Publicado 14-09-2020 00:42:08

Linkedin Whatsapp
Bicho-mineiro e pragas do café: como ser preciso no controle

O Brasil é o maior produtor de café do mundo, está no topo no ranking de exportações e ainda detém o título de segundo maior consumidor da bebida.

Por isso, os produtores procuram colher bons resultados com grãos de qualidade superior e altas produtividades.

Desse modo, é importante ficar atento ao complexo de pragas que atacam os cafezais e podem impactar na qualidade e na rentabilidade da lavoura. 

Vilões do café: não deixe que eles acabem com sua produtividade

O bicho-mineiro (Leucoptera coffeella), principal praga do cafeeiro no país, se não controlado adequadamente, causa perdas de até 70% de produtividade, já que a infestação leva à queda das folhas, comprometendo a capacidade fotossintética das plantas e atingindo diretamente o rendimento da safra colhida.

Ele causa lesões nas folhas, formando as populares “minas”, que diminuem a área fotossintética e, em altas infestações, podem causar danos irreversíveis, levando à perda da matriz energética e fazendo com que as reservas que seriam destinadas ao pegamento das flores na safra seguinte sejam usadas para formação de novas folhas.

Além dessa praga, o cafeicultor deve se atentar a outras ameaças que podem comprometer sua produtividade:

  • Broca-do-café (Hypothenemus hampei): besouro que ataca a coroa do fruto, perfura os grãos e, ali, deposita seus ovos. Seu ataque pode causar danos significativos no peso dos grãos, com perdas que podem chegar a 20% em momentos de alta infestação;
  • Ácaro vermelho (Oligonychus ilicis): com ataques mais intensos no período seco, esta praga ataca as folhas, que adquirem um aspecto bronzeado e sem brilho e, em casos mais severos, ocorre a desfolha do cafezal.

Precisão no controle das pragas do café

Para um controle efetivo das pragas do café, a Syngenta desenvolveu um produto de tecnologia precisa, que combate ao mesmo tempo o bicho-mineiro e a broca-do-café, consideradas  as principais ameaças da cultura: Voliam targo.

O inseticida e acaricida é altamente preciso, oferece amplo espectro de controle e efeito residual prolongado.

 

Com princípios ativos como o Clorantraniliprole e a Abamectina em sua formulação, Voliam Targo é um grande aliado do cafeicultor na manutenção de lavouras saudáveis e produtivas.

A solução da Syngenta proporciona ao cafeicultor:

  • Produtividade: grande eficácia na proteção das folhas e dos frutos do café, contribuindo com a produtividade e lucratividade das lavouras;
  • Superioridade comprovada: em eficácia de controle de bicho-mineiro e broca, manejo antirresistência, flexibilidade de uso e seletividade, além de alta tecnologia da formulação.

Voliam Targo faz parte do portfólio completo da Syngenta e é peça chave do Praga Zero, que determina o uso de aplicações em momentos estratégicos e incorpora ações de manejo da lavoura para proporcionar ao cafeicultor o acesso a mais alta tecnologia para regiões com alta pressão de bicho-mineiro.

Syngenta segue sempre atenta ao mercado e preocupada com o produtor rural, oferecendo soluções e tecnologias para as diferentes fases da lavoura.

Assim, você e Syngenta se mantêm conectados dentro e fora do campo.

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Voliam Targo

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta