Skip to main content

Ciclo do arroz: proteja a sua lavoura do ataque dos percevejos

O período reprodutivo é um momento delicado para o produtor, principalmente pelas pragas que afetam a produtividade no campo. Para evitar que este problema atinja a cultura, é necessário o manejo integrado

Publicado 19-11-2020 17:36:05

Linkedin Whatsapp
Ciclo do arroz: proteja a sua lavoura do ataque dos percevejos

O arroz faz parte da família das gramíneas e alimenta mais da metade da população do planeta, ocupando o terceiro lugar no posto de maior cultura cerealífera do mundo. O Brasil é o maior produtor e consumidor de arroz fora da Ásia e as condições climáticas favoráveis ao plantio, temperatura entre 24ºC e 30ºC com radiação solar elevada, permitem que o potencial produtivo seja desenvolvido tanto no solo inundado quanto em solo seco.

O ciclo de desenvolvimento da cultura é dividido em três fases: plântula, vegetativa e reprodutiva, sendo a última o período mais sensível devido à formação dos grãos e aos ataques de pragas, como os percevejos, que geram prejuízos na produtividade.

Percevejos: o inimigo do arroz na fase reprodutiva

O período reprodutivo na lavoura de arroz varia de três a cinco semanas e este é um momento de extrema atenção, pois a planta não deve sofrer nenhum estresse que comprometa o bom desenvolvimento dos grãos.

Entretanto, é nessa fase que pode acontecer o ataque de pragas como o percevejo-do-arroz (Oebalus poecilus), também conhecido como percevejo-da-panícula e chupão-do-arroz, espécie de maior preocupação entre os produtores.

Esse percevejo apresenta coloração marrom e pontuações amareladas na cabeça que formam um “Y”. Seus ovos podem demorar até sete dias para eclodirem e as ninfas vivem, em média, 28 dias.

 

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Percevejo: 5 dicas de manejo

A Evolução no Controle dos Percevejos

 

Na lavoura, o percevejo-do-arroz causa vários danos, como:

  • afeta a qualidade e quantidade de grãos, sugando a seiva das folhas e os grãos leitosos;
  • reduz o potencial germinativo, diminuindo a massa e alterando o padrão comercial dos grãos;
  • causa o chochamento e o gessamento dos grãos, que se quebram na hora do beneficiamento.

O monitoramento do percevejo-do-arroz é extremamente importante e deve ser realizado no período de florescimento. Para controlá-lo, uma das ferramentas usadas no manejo é a aplicação de um inseticida sistêmico de ação e contato, que protege a produtividade.

Não conte com a sorte quando o assunto são os percevejos

Quando a fase reprodutiva começar no ciclo do arroz, não conte com a sorte para ter uma lavoura mais rentável: invista na aplicação de um inseticida para percevejos como Engeo Pleno S, da Syngenta, e dê adeus às pragas.

Eficiente logo nas primeiras aplicações, Engeo Pleno S é líder no mercado  e possui amplo espectro de ação, além de diferenciais como:

  • tecnologia Zeon - exclusiva tecnologia desenvolvida pela Syngenta em que as microcápsulas se rompem liberando o ingrediente ativo de forma controlada, atingindo o percevejo.
  • ação de choque e efeito residual prolongado - a solução paralisa os percevejos logo nas primeiras horas após a aplicação e o efeito residual oferece um período de maior controle para larvas, ninfas e adultos.
  • performance superior - age com assertividade e rapidez no campo, protegendo a lavoura e trazendo resultados satisfatórios na produtividade.

Na hora de escolher as ações de manejo para uma lavoura mais produtiva e rentável, conheça o portfólio completo de produtos da Syngenta. Tecnologia em soluções assertivas para uma área sempre protegida e saudável, do início ao fim da safra.

Syngenta e você: conectada dentro e fora do campo. 

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta