Skip to main content

Como a inovação tecnológica pode ajudar no manejo das doenças na soja?

A combinação de ativos potentes é capaz de reduzir a incidência do complexo de doenças da soja, especialmente da ferrugem asiática e da mancha-alvo, protegendo o potencial produtivo da lavoura

Publicado 14-12-2021 10:53:20

Linkedin Whatsapp
Soja

A cultura da soja é a mais importante do Brasil, com o produto ocupando o primeiro lugar no ranking dos mais produzidos e exportados. No entanto, doenças podem afetar a lavoura e trazer prejuízos para quem trabalha com a produção desses grãos.

De acordo com a consultoria Safras & Mercado e como consta em uma notícia da seção de Economia da UOL, a safra 2021/22 deverá render cerca de 3.590 quilos por hectare, atingindo 142,24 milhões de toneladas de soja.

Esse aumento se deve à forte rentabilidade da produção do grão ao longo de 2020 e 2021 e à manutenção dos preços elevados da oleaginosa, fazendo com que a cultura da soja seja priorizada para ocupar novas áreas de cultivo.

O perigo das doenças da soja

No entanto, os produtores precisam lidar com um dos fatores que gera bastante preocupação e que pode diminuir esses números tão animadores. As doenças da soja ameaçam a produção e são capazes de diminuir a produtividade da lavoura.

Ainda assim, é possível controlar as infestações por meio de técnicas de manejo adequadas, a fim de proteger a cultura e o resultado da produção.

Para auxiliar no combate da ferrugem asiática, por exemplo, são previstas medidas de vazio sanitário e calendário de semeadura, publicadas em portaria de maio de 2021, pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Apesar dessa iniciativa, como o fungo é transportado facilmente pelo vento, a presença da doença em países vizinhos atrapalha o combate do patógeno.

Sem estratégias adequadas de manejo, a perda pode ser bastante significativa. Segundo dados da Embrapa, a redução provocada pela mancha-alvo pode chegar a 15% da produtividade, enquanto a ferrugem-asiática pode prejudicar entre 30% e 70% da produção.

Principais doenças que afetam a cultura de soja

Diversos patógenos são capazes de prejudicar o desenvolvimento da soja. Aqui vamos destacar duas doenças que têm despertado uma enorme preocupação atualmente: ferrugem asiática e mancha-alvo.

Ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi)

Ferrugem asiática

Os primeiros sintomas da ferrugem asiática são difíceis de enxergar, caracterizando-se por pequenos pontos escuros sem borda amarelada.

A evolução é bastante rápida – os pontos escuros tomam conta da parte inferior da planta e passam a formar protuberâncias (as urédias), nas quais o fungo produz seus esporos. Na fase seguinte de contaminação, a folha fica com aspecto seco e adquire tons próximos ao marrom-claro.

Por ser disseminada pelo vento, a ferrugem asiática apresenta extrema dificuldade de controle para o agricultor. Além disso, possui alto poder destrutivo, por provocar a desfolha antecipada, diminuir o tamanho do grão e, consequentemente, reduzir a produtividade da lavoura.

Mancha-alvo (Corynespora cassiicola)

Mancha-alvo

A mancha-alvo apresenta como primeiros sintomas a formação de pontos na cor parda e halo amarelado. Durante o estágio evolutivo, os pontos transformam-se em manchas circulares, de cor castanho-clara a castanho-escura, que se assemelham a pequenos alvos.

Essa doença surge principalmente entre os períodos de florescimento e enchimento dos grãos, facilitada por condições de temperaturas entre 18°C e 22°C, chuva e alta umidade do ar (acima de 80%).

As consequências da contaminação por mancha-alvo são a redução da área fotossintética da planta e a desfolha precoce, comprometendo o enchimento dos grãos, além de causar o apodrecimento de vagens e hastes. Esses problemas afetam a capacidade produtiva da cultura e impedem o pleno desenvolvimento da lavoura.

Fungicidas inovadores preservam a produtividade da soja

Uma das técnicas mais eficientes para proteger a lavoura e evitar a disseminação da ferrugem asiática e da mancha-alvo é a aplicação de fungicidas eficientes, que contribuem para o manejo de complexo de doenças no momento ideal, de maneira que o potencial produtivo da cultura se mantém em níveis altos.

Com foco nessa solução, a Syngenta desenvolveu Mitrion™, produto inovador que traz a combinação dos dois ativos mais potentes do mercado, oferecendo excelentes resultados no controle de doenças da soja.

Mitrion™ é composto por dois ativos: um é o Solatenol (carboxamida), que possui efeito preventivo e fica fortemente fixado às plantas, impedindo a entrada do fungo e proporcionando ótimo efeito residual.

O segundo ativo de Mitrion™ é o Protioconazol (triazol), que penetra rapidamente na folha e alcança infecções já estabelecidas, proporcionando, assim, um bom efeito curativo.

A combinação desses dois ingredientes faz com que Mitrion™ tenha alta eficácia no controle de doenças, protegendo a cultura da contaminação de patógenos e preservando a capacidade de produção da lavoura.

Além disso, a formulação dispensa o uso de adjuvantes, algo bastante inovador. Essa característica proporciona maior praticidade no momento da aplicação, otimizando o trabalho na lavoura.

Tecnologia Empowered Control

Além da combinação altamente eficiente dos ativos, Mitrion™ conta com a tecnologia Empowered Control, uma inovação no quesito formulação. Essa tecnologia atua na melhoria da retenção, do espalhamento e da translocação do produto nas plantas. Graças a essas características, o fungicida tem ação imediata, elevando o controle das doenças que afetam a cultura da soja.

Confira como Mitrion™ fez a diferença em diferentes regiões

Compilamos alguns dados que mostram como a aplicação de Mitrion auxiliou na preservação da sanidade da lavoura de soja em várias regiões do país. Confira os cards!

Resultado 1

Resultado 2

Resultado 3

Resultado 4

Resultado 5

Resultado 6

Mitrion™ traz as seguintes vantagens para o produtor:

  • Combinação inovadora: contém os dois ativos mais potentes do mercado, Solatenol e Protioconazol.

  • Máxima potência: alta eficiência no combate às manchas foliares, com destaque para Mancha-Alvo e à ferrugem asiática.

  • Controle superior: maior efeito preventivo e curativo.

  • Conveniência: tecnologia Empowered Control, que eleva a eficácia dos produtos e gera maior praticidade, pois dispensa o uso de adjuvantes.

Com o manejo adequado, é possível diminuir os índices de contaminação dos patógenos causadores de doenças como a mancha-alvo e a ferrugem asiática, protegendo a lavoura de soja e permitindo que a cultura alcance seu máximo potencial produtivo.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

 

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta