Skip to main content

Doenças da soja: o uso do multissítio no manejo de resistência

A resistência de fungos nas lavouras é uma prova de fogo na hora de controlar o complexo de doenças. A tecnologia avançada do multissítio, que pode ser usado junto a outras tecnologias fungicidas, tornou-se uma ferramenta essencial na proteção da lavoura

Publicado 16-04-2021 13:59:42

Linkedin Whatsapp
Doenças da soja: o uso do multissítio no manejo de resistência

As doenças são motivo de preocupação entre os produtores rurais devido aos inúmeros prejuízos que causam no desenvolvimento da cultura da soja, afetando a qualidade dos grãos e a produtividade. Enquanto mais de 100 diferentes tipos de doenças já foram detectadas no campo em todo o mundo, no Brasil, cerca de 40 fungos ameaçam as regiões produtivas.

Entre os desafios na hora de controlar o complexo de doenças da soja, está a resistência dos fungos, que causa preocupação na hora do manejo. Afinal, uma tomada de decisão errada pode facilitar a entrada dos patógenos. Entre as ações que contribuem com a resistência dos fungos, estão:

  • uso de apenas fungicidas de ação curativa e não de uma solução preventiva;
  • longos intervalos de aplicações;
  • uso de doses ou sub doses não recomendadas pela bula e pelo técnico agrônomo;
  • uso de um mesmo fungicida em ações sequenciais;
  • não adoção do vazio sanitário;
  • não optar pelo uso de um fungicida multissítio.

O fungicida multissítio é uma solução essencial no manejo de doenças. Ele age em diversos locais da célula dos fungos, reduzindo os riscos de desenvolvimento de resistência e contribuindo com a manutenção e a performance de outros produtos.

A ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi), o oídio (Microsphaera diffusa) e a septoriose (Septoria glycines) estão entre as manchas e DFCs (Doenças de Final de Ciclo) que são uma ameaça para a produtividade e podem ser controladas com o uso de um fungicida multissítio.

 

Veja mais:

 

Bravonil: proteção para a lavoura e para as tecnologias fungicidas

Para potencializar os resultados no controle das doenças da soja, a Syngenta conta em seu portfólio com Bravonil, o fungicida multissítio com  amplo espectro de ação confere maior eficácia no controle do complexo de doenças, como ferrugem, manchas e DFCs.

Sua formulação tem a exclusiva tecnologia Bravo, que permite maior conveniência ao produtor com a uniformidade de mistura e a fluidez na aplicação, evitando o entupimento dos bicos e os danos ao maquinário.

Além de espalhar melhor para maior cobertura foliar, o produto promove maior cobertura foliar e fixação, impedindo que seja lavado na chuva.

 

Outro diferencial de Bravonil é o fato de poder ser combinado com um fungicida preventivo ou com uma solução multipotente em dois momentos importantes da cultura:

  1. Elatus + Bravonil: a união de um fungicida base sistêmico e um multissítio é a combinação eficaz para as primeiras aplicações na lavoura, prevenindo o campo do desenvolvimento dos patógenos e agindo contra as ameaças resistentes.
  2. Cypress + Bravonil: no 60° dia após o semeio da soja, é possível que as DFCs apareçam na cultura. Por isso, a combinação de um fungicida multipotente com o multissítio prolonga a ação protetiva, retarda a resistência e auxilia na manutenção da sanidade da lavoura.

doencas-da-soja-o-uso-do-multissitio-no-manejo-de-resistencia

Quando o assunto é o controle de doenças da soja, a Syngenta conta com tecnologias avançadas para o desenvolvimento de fungicidas que mantêm a sanidade da lavoura, mas também realiza um trabalho de pesquisa para colocar à disposição do produtor um portfólio completo de produtos que auxiliem nos desafios diários do campo.

Visite o nosso site e veja todas as tecnologias de aplicação que fazem a diferença na hora de extrair o máximo em produtividade.

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta