Skip to main content

Fungicidas sistêmicos: os benefícios para a lavoura de milho

O uso destas soluções nas doses recomendadas proporciona efeitos fisiológicos benéficos às plantas, o que implicará em incremento na produtividade e, consequentemente, maior qualidade dos grãos

Publicado 20-08-2020 17:19:09

Linkedin Whatsapp
Fungicidas sistêmicos: os benefícios para a lavoura de milho

O milho é atacado por diversos patógenos que se manifestam com facilidade em todas as regiões produtoras do país. E o possível prejuízo na lavoura está diretamente ligado à forma como o manejo da cultura é realizado. O uso de um fungicida sistêmico com dois modos de ação, que protege tanto folhas quanto espigas, e que proporcione controle superior frente à outras soluções do mercado, é uma opção assertiva para aumentar a produtividade da lavoura.

O aumento na densidade das plantas aliado ao uso de cultivares suscetíveis a doenças e condições climáticas favoráveis, pode gerar o cenário ideal para a incidência das doenças do milho.

Para extrair da lavoura os melhores resultados, o produtor precisa estar atento a fatores que possam limitar o desenvolvimento da cultura. "Mesmo sabendo que cada material apresenta seu manejo, em função de época e de sensibilidade das doenças, dentro desse cenário de uma aplicação, Priori Xtra é uma excelente opção”, relata o consultor e engenheiro agrônomo, Edson Ribeiro.

“Você tem ainda uma sanidade muito boa das folhas para baixo da espiga até em cima, o que vai fazer esse milho chegar numa situação muito favorável no momento da colheita”, afirma, apontando os resultados positivos obtidos a partir do uso da Priori Xtra, fungicida sistêmico da Syngenta, numa lavoura de milho de Ponta Porã (MT).  Consulte a Bula Priori Xtra.

Com controle superior, a solução oferece dois mecanismos de ação, protegendo as folhas da planta e, também, a espiga, com alta sistemicidade, controlando as principais doenças da cultura.

Prejuízos causados pelas doenças e o combate com fungicidas sistêmicos

Entre as principais doenças que afetam e comprometem a sanidade da lavoura e o potencial produtivo da planta, está a mancha-de-phaeosphaeria (Phaeosphaeria maydis), também conhecida popularmente como mancha-branca. A doença se desenvolve com mais facilidade em ambientes que possuem temperaturas mais baixas e umidade do ar superior a 50%.

Quando o fungo incide na lavoura de milho, os sintomas começam nas folhas inferiores da planta e, conforme progridem, atacam as folhas superiores e podem ser percebidos também na palha da espiga.

A doença gera prejuízos superiores a 60%, principalmente quando encontra as condições favoráveis no ambiente em que está situada.

A cercosporiose (Cercospora zeae-maydis) é outra preocupação do milhocultor. Considerada uma das doenças com maior importância econômica na cultura do milho por causar perdas superiores a 80% na lavoura, tem entre seus primeiros sintomas o surgimento de pequenas manchas amareladas e de forma retangular nas folhas.

Lesões em bainhas foliares, colmos e brácteas da espiga, sobretudo no ápice, também ocorrem em lavouras severamente afetadas.

O uso de híbridos resistentes e a pulverização de fungicida específico nos órgãos aéreos pode reduzir a intensidade das doenças e são as estratégias indicadas para controlar os patógenos e reduzir prejuízos.

Priori Xtra: controle é o X da questão

Resultado de investimentos em tecnologia e inovação, com o objetivo de compreender as principais dificuldades que o produtor enfrenta durante o cultivo do milho, Priori Xtra apresenta performance superior e assertiva no controle de doenças.

O fungicida sistêmico da Syngenta possui amplo espectro e age com eficiência, sistemicidade e rapidez na translocação. E os resultados positivos o produtor comprova na lavoura:

fungicidas-sistemicos-os-beneficios-para-a-lavoura-de-milho

fungicidas-sistemicos-os-beneficios-para-a-lavoura-de-milho

Análises em uma lavoura do Paraná, 45 dias após a emergência, comprovaram que nas plantas que receberam Priori Xtra houve menor severidade de doenças em relação ao padrão produtor.

Além disso, ao avaliar a planta inteira, os resultados obtidos com o fungicida sistêmico da Syngenta foram superiores, com as folhas abaixo e acima da espiga em ótima sanidade. Onde foi aplicado o padrão produtor, foi percebida maior severidade das doenças.

Com resultados comprovados e ação prolongada, quando o controle é o X da questão, Priori Xtra é a solução.

Parte do portfólio completo de soluções da Syngenta, que está sempre ao lado do produtor, esse fungicida sistêmico é a ferramenta que todo produtor busca quando o objetivo é explorar todo o potencial da lavoura de milho.

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Priori Xtra - Milho

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta