Skip to main content

Inseticida sistêmico: proteção superior contra percevejos

Os prejuízos causados por essas pragas comprometem consideravelmente a produtividade da lavoura de milho. Por isso, o controle eficaz de ninfas e adultos na fase vegetativa contribui para melhores resultados na safra

Publicado 24-11-2020 12:17:23

Linkedin Whatsapp
Inseticida sistêmico: proteção superior contra percevejos

Na última década, a dobradinha soja/milho, que compõe um dos maiores sistemas de produção agrícola do país, atingiu patamares elevados no agronegócio nacional, sendo que a cultura do milho teve um aumento de 40% na produtividade e está, hoje, entre um dos cereais mais importantes para a economia do país.

O consumo interno é abundante, com o grão sendo usado como matéria-prima de ração animal, além de base para produtos como biscoitos, pães, chocolates, balas, entre outros. Com a valorização do dólar nos últimos meses, o preço do milho no Brasil segue em alta. O indicador ESALQ/BM&FBovespa (região de Campinas/SP), divulgado pelo CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) em outubro de 2020, registrou o avanço do cereal nas exportações, com registro da saca de 60 quilos a R$ 70,72 – um aumento de 11,14%.

Com o fim da colheita da safra 19/20 e a previsão de um novo plantio para o milho safrinha entre fevereiro e março de 2021, é o momento do produtor pensar no manejo dos percevejos para não ter a próxima produtividade afetada.

Percevejos do milho: ameaça constante da lavoura

Uma das principais ameaças da lavoura de milho são os percevejos que, por decorrência do plantio do cereal ser após a colheita da soja, tornou-se uma praga frequente no campo.

Por ser um inseto sugador, capaz de sobreviver na entressafra, ele pode causar inúmeros prejuízos na produtividade, como grãos de baixa qualidade em decorrência do mau desenvolvimento da planta.

O percevejo-barriga-verde (Dichelops melacanthus) é a espécie mais temida pelo milhocultor devido aos danos que causa nos campos, como:

  • adapta-se a temperaturas amenas e ataca de forma severa durante os períodos da manhã, fim de tarde e noite.
  • ninfas e adultos consomem as plântulas e, enquanto se alimentam, introduzem estiletes que causam alterações fisiológicas que interferem no limbo foliar, fazendo as folhas centrais murcharem e secarem completamente;
  • armazena e sobrevive durante meses na palhada, o que dificulta a sua identificação. O prejuízo na lavoura pode chegar a até 30% de perda na produtividade.

inseticida-sistemico-protecao-superior-contra-percevejos

Evolua no controle dos percevejos

Os percevejos se escondem no dossel das plantas e em partes mais difíceis de serem atingidas pelos produtos. Com isso, é preciso uma tecnologia que seja capaz de alcançar as pragas (ninfas e adultos) nas partes mais escondidas, como é o caso do inseticida sistêmico.

Esse tipo de produto, quando aplicado sobre as folhas, é absorvido rapidamente e transloca-se com a seiva para todas as partes da planta. Com isso, ele acaba tento contato com o corpo dos insetos, atingindo seu sistema nervoso e causando sua morte.

Por conta da distribuição nos tecidos, os inseticidas sistêmicos conferem proteção em áreas que não tiveram deposição de gotas do produto na pulverização e em pontos de crescimento, controlando com mais precisão as pragas que se instalam em diferentes partes da planta.

Por isso, a Syngenta desenvolveu Engeo Pleno S, inseticida que se destaca por ser sistêmico, de contato e ingestão, controlando de forma eficaz os percevejos do milho. O inseto tem suas funções alimentares paralisadas quando o seu corpo entra em contato com o inseticida ou quando está se alimentando da planta.

O posicionamento indicado para Engeo Pleno S na lavoura de milho é no início do desenvolvimento da cultura, proporcionando o melhor controle dos percevejos logo nas primeiras aplicações através de:

  • Tecnologia Zeon: exclusiva tecnologia desenvolvida pela Syngenta em que as microcápsulas se rompem após a aplicação e o ingrediente ativo é liberado, de forma controlada, aumentando a exposição do inseto-alvo ao inseticida;
  • efeito de choque e residual: rápida proteção e paralisação da praga com um tempo prolongado de controle tanto de ninfas quanto de adultos;
  • rápida ação: a formulação conta com dois poderosos princípios ativos – Tiametoxam e Lambda-cialotrina –, que acabam com os percevejos em poucas horas após a aplicação.

É recomendada o manejo de rotação de Engeo Pleno S após a 2° aplicação com outro grupo químico.

As necessidades com o cuidado no manejo não param e, por isso, a Syngenta conta com um portfólio completo de produtos, desde soluções para sementes, fungicidas, inseticidas e herbicidas, para contribuir com o produtor no máximo em produtividade através de uma lavoura saudável e livre de pragas.

Syngenta e você: conectados dentro e fora do campo.

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta