Skip to main content

Milho: alta performance no controle de manchas

O fungicida Priori Top® proporciona incremento ao controle e à produtividade da cultura, com resultado superior. Confira!

Publicado 13-12-2021 15:38:00

Linkedin Whatsapp
Lavoura de milho

O Brasil é o 3º maior produtor mundial de milho, cereal com altas qualidades nutritivas, utilizado principalmente como alimento humano e ração animal. Devido à enorme relevância da cultura para o país, há grande preocupação por parte dos agricultores em relação aos fatores que afetam a produtividade e a rentabilidade da lavoura, como a ocorrência de doenças.

A cultura do milho é suscetível ao ataque de diversos patógenos, desde a fase de plantio até a colheita, que podem gerar grandes prejuízos na lavoura e no bolso do agricultor. O milho safrinha, principalmente, exige maior atenção no manejo fitossanitário por conta das condições climáticas na época de semeadura, que favorecem o estabelecimento de manchas foliares e outras doenças, como:

  1. Ferrugem polissora (Puccinia polysora)

A ferrugem polissora, uma doença agressiva e destrutiva para o milho, ocorre principalmente na região central do Brasil, onde já foram constatados danos econômicos de até 65%. A doença é um dos principais problemas nas principais regiões produtoras do país. No Mato Grosso, por exemplo, tem exigido diversos esforços por parte dos produtores para ser manejada e não comprometer de maneira significativa a produtividade da cultura.

Ferrugem polissora

O principal sintoma causado pela ferrugem polissora é o surgimento de pequenas pústulas de coloração marrom-dourada, com formas circulares a elípticas. Ficam distribuídas principalmente na face superior das folhas, mas também podem se instalar no pendão e em outras partes da planta.

Quando a cultura é fortemente afetada, é comum que os uredósporos fiquem aderidos ao corpo e às roupas de pessoas que caminham pela lavoura, o que favorece a disseminação do patógeno. Em cultivares suscetíveis, é comum a ocorrência da morte prematura da planta de milho, por conta da destruição foliar.

  1. Mancha branca (Phaeosphaeria maydis)

Também conhecida como mancha-de-Phaeosphaeria, a incidência dessa doença é favorecida pela semeadura tardia e pela ausência de rotação de culturas e tem-se destacado como a doença mais importante em muitas regiões brasileiras. Além desses fatores, o fungo causador da mancha branca é necrotrófico, podendo permanecer em restos culturais de plantas infectadas, e a sua disseminação ocorre através do vento e de respingos de chuva.

Mancha branca

Os sintomas iniciais são lesões pequenas, cloróticas e arredondadas, com coloração esbranquiçada ou com aspecto seco e borda escura. Pode haver coalescência de lesões, o que leva à morte parcial ou total da folha. Em casos severos, pode causar prejuízos superiores a 60% à produção.

  1. Mancha de Cercospora (Cercospora zeae-maydis)

Também conhecida como cercosporiose, a doença ocorre em praticamente todas as áreas de cultivo de milho no Centro-Sul do Brasil e pode causar perdas superiores a 80% em cultivares suscetíveis.

Mancha de cercospora

Entre os sintomas, está o aparecimento de manchas retangulares de coloração marrom-acinzentada, que se desenvolvem paralelamente às nervuras. As lesões mais jovens apresentam um halo amarelado característico quando observadas através da luz. Em ataques mais severos, pode ocorrer acamamento das plantas de milho. A mancha de Cercospora é disseminada através de esporos e de restos de cultura levados pelo vento e por respingos de chuva.

  1. Helmintosporiose (Exserohilum turcicum)

Entre as doenças que afetam a cultura do milho, é uma das com maior destaque e ocorre em diferentes regiões do país. Em condições ambientais favoráveis e em cultivares suscetíveis, pode causar perdas que excedem 40% da produção de grãos.

Helminstoporiose

Os sintomas comuns da helmintosporiose são lesões necróticas e elípticas, medindo de 2,5 cm a 15 cm de comprimento, que aparecem primeiro nas folhas mais velhas. O tecido necrosado adquire coloração cinza-esverdeada a marrom e, em ataques severos, pode ocorrer a queima completa dos tecidos foliares.

O patógeno sobrevive em restos de cultura na forma de micélio e de conídios, que são disseminados a longas distâncias através do vento. Infecções secundárias resultam da disseminação de conídios produzidos abundantemente em lesões foliares.

Escolha o caminho sem manchas com Priori Top®

Sabendo das necessidades do produtor quando o problema são manchas na lavoura, a Syngenta desenvolveu Priori Top®, um fungicida inovador que entrega amplo espectro de controle contra todas as doenças do milho, além de eficiência superior contra manchas.

A formulação de Priori Top® é composta por dois ingredientes ativos eficientes e complementares: azoxistrobina, a estrobilurina mais sistêmica do mercado, e difenoconazol, um triazol especialista em manchas.

Além disso, Priori Top® proporciona rápida absorção de seus dois ingredientes ativos, protegendo as folhas por inteiro e com efeito prolongado de controle.

A azoxistrobina presente na formulação de Priori Top® tem a maior sistemicidade entre as estrobilurinas, protegendo rapidamente a folha, além do longo residual.

Infográfico 1

Já o difenoconazol é o triazol responsável pelo longo residual do produto, protegendo as folhas por mais tempo contra as manchas.

Infográfico 2

Outros diferenciais de Priori Top® são:

  • Efeitos fisiológicos benéficos às plantas, que aumentam a atividade de enzimas antioxidantes, reduzindo o estresse oxidativo. Essa ação atrasa a senescência das plantas, potencializando incrementos em produtividade e a qualidade final do produto com plantas mais verdes, que permitem maior fixação de carbono e eficiência no enchimento de grãos.

  • Formulação de alta tecnologia: formulação de ponta com um sistema de adjuvantes e surfactantes específicos e mais modernos, contribuindo para uma retenção superior sobre as folhas e maior absorção dos ingredientes ativos, tudo isso entregando maior segurança no controle das doenças do milho.

Priori Top® oferece um novo conceito ao controle de doenças na cultura do milho, com amplo espectro e eficiência superior contra manchas, elevando a proteção da lavoura e permitindo que a cultura expresse seu máximo potencial produtivo.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta