Skip to main content

Soja: escolha o melhor fungicida para qualquer situação

A severidade das doenças pode comprometer a produtividade, pois elas aparecem em todas as fases do ciclo da cultura. Por isso, optar por um fungicida consistente vai contribuir para o melhor controle de patógenos na lavoura

Publicado 09-12-2021 18:23:41

Linkedin Whatsapp
Soja

O Brasil é o maior produtor e exportador de soja do mundo, e as expectativas são mais otimistas a cada nova safra, batendo recordes de produtividade. No entanto, as doenças são uma grande ameaça aos produtores que visam alta rentabilidade, sendo que a severidade dos ataques depende do tipo de patógeno, das condições do ambiente e da presença de hospedeiros.

Já foram identificadas em torno de 40 doenças na cultura da soja e estima-se que de 15% a 20% das lavouras têm redução na produtividade por conta da severidade das doenças. Para se ter uma ideia, a ferrugem asiática, doença de maior importância na oleaginosa, já gerou cerca de R$ 150 bilhões em prejuízos em todo o país.

O cenário das doenças da soja

É importante ressaltar que a ocorrência de doenças na soja se dá pela combinação de fatores que podem incidir em qualquer momento do ciclo de desenvolvimento da cultura.

O primeiro deles é a questão dos hospedeiros. Afinal, para que o patógeno incida na lavoura ele precisa infectar um organismo vegetal suscetível ao seu desenvolvimento.

Outro fator é a questão do ambiente: a influência de temperatura, da umidade e do microclima é essencial para a proliferação de doenças. Além disso, o patógeno também deve apresentar condições para penetrar, colonizar e se multiplicar nos órgãos das plantas.

Folha de soja doente

Principais doenças da soja

A severidade de cada doença vai depender das condições adequadas do ambiente, que varia em cada região agrícola. Por isso, em determinada safra, por exemplo, uma área pode sofrer mais com o ataque de um patógeno do que outra.

É fundamental conhecer e saber identificar quais são as principais doenças, para realizar um manejo adequado no controle desses patógenos. Assim, selecionamos algumas delas e as descrevemos a seguir. Confira!

Ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi)

Considerada a doença que mais causa prejuízos à soja, a ferrugem asiática é responsável, principalmente, pela desfolha precoce, que compromete a formação dos grãos. Em casos mais severos, pode comprometer a produtividade de toda a lavoura, gerando altos prejuízos, que atingem a casa dos bilhões de reais se o controle não for realizado.

Oídio (Microsphaera diffusa)

É uma doença que se desenvolve na parte superior da planta, atacando folhas, hastes e vagens. Uma camada fina e esbranquiçada que constitui as estruturas dos fungos recobre as plantas, prejudicando a atividade fotossintética.

Antracnose (Colletotrichum truncatum)

A antracnose é uma doença silenciosa que ataca diretamente os órgãos reprodutivos da planta, o que resulta em uma baixa qualidade de grãos e sementes. Como resultado de seu ataque, ocorre a queda das flores e das vagens e em casos mais severos há a morte das plântulas e manchas de coloração escuras.

Septoriose (Septoria glycines)

É uma mancha foliar que aparece em qualquer estádio da cultura e cujo principal sintoma é o surgimento de pontuações pardas nas folhas, que coalescem e formam manchas em ambas as faces, com halos amarelados e centro de coloração castanha. Em casos mais graves da doença, pode ocorrer a desfolha e a maturação precoce.

Cercosporiose (Cercospora kikuchii)

É uma doença que pode incidir em todas as partes da soja, causando pontuações escuras nas folhas, que, ao coalescer, formam grandes manchas necrosadas. Pode ocorrer a desfolha prematura e o aparecimento de manchas castanho-avermelhadas nas vagens, reduzindo a qualidade dos grãos.

Uma nova era de fungicidas para controle de doenças

A agricultura moderna exige cada vez mais um manejo adequado e assertivo para proteger a cultura e fazê-la expressar seu máximo potencial produtivo por meio de soluções que favorecem a sanidade da lavoura.

Atenta às necessidades do produtor, a Syngenta inaugura uma nova era de fungicidas com soluções que apresentam controle superior ao complexo de doenças e proporcionam a máxima proteção da soja.

Alade® está dentro desse portfólio de lançamentos, pois é o único fungicida que conta com três ativos de alta eficácia complementando-se e maximizando o controle de doenças. Veja as características de cada um dos ingredientes ativos que compõem a formulação moderna desse produto de tecnologia Empowered Control:

  1. Solatenol: uma carboxamida moderna com alta capacidade de aderência e penetração nas folhas, proporcionando melhor efeito preventivo.

  1. Ciproconazol: triazol que se destaca pela alta mobilidade dentro das plantas e pelo excelente controle de ferrugem asiática.

  1. Difenoconazol: assegura um amplo espectro de ação contra os principais patógenos da soja, protegendo a lavoura das ameaças que possam acontecer durante o ciclo da cultura.

Infográfico

Além disso, Alade® conta com grandes diferenciais ao ser comparado com outros fungicidas do mercado, tais como:

  • Consistência: o fungicida apresenta o maior espectro de controle do mercado.

  • Dupla ação sistêmica: a sinergia entre dois triazóis seletivos traz alta performance contra o ataque de patógenos.

  • Máxima proteção: tem o melhor efeito preventivo com o Solatenol.

  • Conveniência: formulação com a Tecnologia Empowered Control, que eleva o controle de doenças e de oferece maior retenção, espalhamento e translocação do produto na planta, resultando em uma ação imediata do produto, além de uma maior praticidade, pois dispensa o uso de adjuvantes.

Resultados superiores em produtividade

Alade® faz parte da nova era de fungicidas da Syngenta e apresenta resultados superiores de controle e produtividade em ensaios realizados nas áreas produtoras brasileiras.

No gráfico abaixo, é possível verificar que na Fazenda Rio Verde, em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, Alade® rendeu 4,3 sacas por hectare a mais que o padrão produtor, oferecendo mais rentabilidade à lavoura com um manejo associado a outros produtos da Syngenta.

Resultado 1

Outro excelente resultado do fungicida da Syngenta pôde ser constatado em Nova Rosalândia, em Tocantins, na Fazenda Timbó II, em que a lavoura produziu 3 sacas de soja a mais por hectare.

Resultado 2

Na região Sul, Alade® também trouxe excelente resultado, com 3,8 sacas por hectare a mais que o padrão produtor, na cidade de Ubiratã, no Paraná.

Resultado 3

Uma lavoura saudável e produtiva depende de um manejo com soluções eficazes e que proporcione o bom desenvolvimento das plantas durante todo o ciclo da cultura. Conheça o portfólio robusto de produtos Syngenta, com a mais alta tecnologia para auxiliar o produtor a superar os desafios diários do campo.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta